Segunda, 25 Julho 2022

O Planeta Saturno na Astrologia Oculta

Escrito por Papus
Avalie este item
(3 votos)
(Tempo Estimado de Leitura: 2 - 3 minutos)

O velho pai Tempo, com seu corpo esquelético e sua foice mortal é bem conhecido, sem dúvida, pela maioria de nossos leitores.

É uma das numerosas formas tomadas por Saturno em seu aspecto simbólico. No tempo dos antigos gregos era conhecido com o nome de Cronos, sustentando numa mão o ciclo da necessidade e da eterna mudança de forma, de esfera e de função. Para os antigos hebreus, Saturno chamava-se Shebo, nome que significa “sete”. É formado por Asheb que significa “o astro da idade antiga”, uma vez que representa o símbolo deste planeta.

Na Cabala o planeta Saturno simboliza a meditação silenciosa e corresponde, assim, aos atributos auriculares do Grande Homem, e é por esta razão que por ele se representam os sentidos e as faculdades do ouvido, da audição etc., na constituição da humanidade. Por isso vemos a significação mística da concepção cabalística desta ordem sob a figura da meditação silenciosa.

Para meditar, é necessário o silêncio; para escutar, é preciso ouvir. A meditação não é nada mais do que a tensão do espírito em direção às inspirações da alma.

No planisfério esotérico, Saturno converte-se no anjo Cassiel, gênio da reflexão na luz astral. Apresenta-nos também o lado oculto de todos os mistérios teológicos; daí a concepção deste planeta sob a figura do ermitão isolado. É nesse sentido que o encontramos simbolizado no Tarô, sistema digno de uma maior atenção do que aquela que apresentam os discípulos modernos da ciência oculta.

Considerado astrologicamente, pode-se dizer que, em verdade, o planeta Saturno, é o mais potente e o mais prejudicial de todos os planetas. Não tanto pelo caráter marcante de sua influência, mas pela maneira imperceptível e sutil cujo influxo determina a vitalidade do organismo físico daqueles a quem afeta. Marte vem como um trovão e dá a entender que há algo decididamente negativo, mas Saturno é exatamente o oposto. Sua natureza é lenta e paciente, artificiosa e furtiva.

Talvez umas nove décimas partes dos males da humanidade se devam aos raios maléficos de Saturno e de Marte em combinação. Marte comete o crime passional e impensado, e muito raramente é culpado do mal premeditado. Saturno é o oposto de tudo isso, medita muito cuidadosamente todos seus projetos antes de executá-los e raramente comete um erro.

No plano intelectual Saturno rege o grupo superior de sentimentos egoístas e a totalidade das faculdades de reflexão. Aqueles que estão sob o domínio de seus influxos são solitários, reservados, lentos em seus discursos e em suas ações. Transmitem a forma mais alta de reflexão, como consequência, são estudiosos científicos e pensadores fechados. Tendem geralmente à exclusividade, o que faz que o ermitão seja o verdadeiro representante da ação deste planeta. Sobressaem em todos os estudos Ocultos.

No plano físico, o único bem que Saturno pode fazer é fortalecer a intelectualidade, esfriar as paixões do indivíduo egoísta e cuidadoso de seus próprios interesses. Quando um indivíduo tem seus favores não é excessivamente feliz, porque todos os aspectos e todas as paixões deste planeta são mais uma desgraça do que um benefício. Por natureza, Saturno é frio e muito propenso a criar uma disposição à avareza.


Livro “Iniciação Astrológica” – Trecho de Os Aspectos Planetários – Papus

Ler 490 vezes Última modificação em Quarta, 14 Setembro 2022