Segunda, 01 Julho 2024

O Encontro com Reptilianos no Brasil

Escrito por Sabedoria Milenar
  • tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte aumentar o tamanho da fonte
  • Imprimir
Avalie este item
(2 votos)
(Tempo Estimado de Leitura: 2 - 3 minutos)

Robert Llimós é um artista contemporâneo catalão, nascido em Barcelona, na Espanha, em 1943. Conhecido por suas contribuições na pintura, escultura e gravura, sua história mudou dramaticamente após um encontro inesperado com um OVNI. Vamos conhecer essa história intrigante!

Llimós começou sua carreira artística nos anos 1960, participando do movimento "Nova Figuração Catalã", explorando novas formas de expressão. Seu trabalho é conhecido pela abordagem expressiva, cores vibrantes e figuras humanas estilizadas.

Em 1996, ele criou a escultura "Marc" para os Jogos Olímpicos de Atlanta, dedicada ao seu filho falecido. Esta obra é uma das mais famosas, com uma réplica colocada na Vila Olímpica de Barcelona em 1997.

Apesar do sucesso, tudo mudou em 2009 durante uma viagem a Fortaleza, Brasil. Enquanto desenhava, ele testemunhou um OVNI silencioso cercado por uma névoa, levando a um encontro com seres reptilianos.

Llimós afirma que foi abduzido por duas horas e meia, durante as quais os seres apenas o observaram. Ele descreveu-os em detalhes, incluindo suas escamas e poros grandes, acreditando que o escolheram para revelar sua existência ao mundo.

Após esse encontro, Llimós mudou seu foco para retratar esses seres extraterrestres, causando rejeição no mercado de arte. Passou sete anos sem vender uma única obra, mas permaneceu dedicado à sua nova missão.

Sua persistência valeu a pena na Itália, onde expôs suas obras em Roma. Refletindo sobre a experiência, ele agradece por ter ocorrido aos 65 anos, pois acredita que teria enlouquecido se fosse aos 30, sem ninguém entender sua arte.

Llimós insiste que nenhuma de suas representações é inventada, afirmando que os seres eram reais e que o encontro foi telepático, exalando um sentimento de bondade. Embora nunca tenha tido outro encontro, ele continua a criar arte baseada nesse evento profundo.

Llimós argumenta que esses seres não permitem fotos porque a humanidade ainda não está pronta para essas verdades, citando questões como a crise dos refugiados sírios. Ele continua firme em sua missão de retratar fielmente o que viu em 2009.

Ele responde aos céticos que ligam sua experiência à morte trágica de seu filho em 1995, afirmando que suas visões vêm do mundo físico, não do subconsciente. Escolhido por sua habilidade artística, ele continua a compartilhar sua história e criar obras detalhadas dos seres reptilianos.

Confira a incrível jornada de Llimós e a fascinante arte inspirada por seu encontro extraterrestre.


Veja o vídeo sobre esse assunto em nosso canal: https://youtu.be/jn77_8eWmuA

Informações adicionais

  • Complexidade do Texto: Intermediário
Ler 46 vezes Última modificação em Segunda, 15 Julho 2024